domingo, 5 de abril de 2015

O Mar e a Escuridão



O Mar e a Escuridão


Infelizmente esta estória é de como eu gostaria de ter morrido, mas estou aqui vivinho da silva. Tudo começou com a maior felicidade que um Homem pode ter, conheci uma garota, Linda, olhos castanhos, cabelos castanhos pele lisinha, a perfeição em pessoa. Quando a vi não conseguia parar de olha-lha, e logo identifiquei a aliança em sua mãe esquerda, mas não conseguia parar de pensar nela, o tempo passou e me aproximei dela, ficamos amigos e logo me encantei, fiz de tudo para conhecê-la melhor ainda mais ao saber que o casamento dela se dissolverá.
                Um dia resolvi abrir meu coração, dizer o quanto ela era especial, o quanto eu me encantava por ela, mas não aconteceu como eu imaginava, ela simplesmente me olhou e me disse, eu apenas estava brincando com você, virou-se me dando as costas e saiu... Ali meu mundo desabou tudo escureceu, o breu tomou conta de mim, perdi o rumo, então começou a minha triste estória...
                Sem rumo, desprezado e magoado peguei meu carro e saí sem rumo, que a escuridão me levasse para longe desta dor que sentia em meu peito, quando me dei conta estava na estrada, mas em qual? Como eu chegará lá? Que caminho tomei ? não sabia responder só queria prosseguir, me dei conta na musica que tocava no rádio, “Guilherme Arantes”... Quando fui ferido, vi tudo mudar, das verdades que eu sabia... só sobraram restos e eu não esqueci... O velocímetro marcava 150 km/h 180 km/h, não me importava multas ou nada mais, em minha cabeça não haveria volta. Quando me dei conta estava no litoral, em qual praia ou cidade não importava ali eu mergulharia na escuridão eterna.
                Sentei-me na areia, pensamentos distantes, não sentia mais meu corpo, não sentia dor, não sentia nada. Mergulhava em um abismo escuro e sem fim, minha vida passava diante dos meus olhos, mas não importava cada imagem acabava sendo apagadas por aqueles olhos lindos e castanhos se virando e partindo... Uma luz apareceu diante de mim, um anjo enviado para me salvar sentou-se ao meu lado e disse: - Amigo, porque esta tristeza?  E eu contei-lhe minha triste sina, ele tentou me consolar e disse que estaria me protegendo e que o tempo apagaria as marcas, mas a noite seria muito mais movimentada. Por mais incrível que pareça uma sombra escura saiu do mar, eu fiquei incrédulo, naquela praia deserta não haviam holofotes, não como ter sombras, ela se dirigiu a mim, sentou-se ao meu lado e me envolveu num abraço quente, em um sussurro que ecoava em meu ouvido ela me disse: - Eu posso te dar o que você precisa. Eu não pensei, aceitei.
                A morte me ajudou a levantar, lentamente caminhamos juntos lado a lado em direção ao mar, senti a água gelada do mar a noite em meus pés, mas o abraço quente e envolvente da morte continuava a aquecer meu corpo, era uma sensação maravilhosa, mas eu já sentia algo gelado em minha cintura, meus pés tinham vontade própria e continuavam a caminhar mar a dentro, meus olhos só viam a escuridão da noite e uma voz em minha cabeça dizia me para voltar, mas o abraço da morte era tão bom, senti certa dificuldade para respirar quando a água do mar salgada entrou em minha boca, mas meus pés ainda tocavam o chão de areia, senti um impulso me puxando para traz, mas eu quis seguir, queria apagar de minha mente a imagem daqueles olhos castanhos e sabia que somente a morte poderia me ajudar, de repente meu corpo gelou, envolto pelas águas do mar a morte me abandonou, comecei a me afogar e na areia havia um anjo em luz me guiando , as ondas do mar me jogaram na areia onde descansei na escuridão, logo senti meu corpo aquecido novamente por aquela sombra escura que me disse, não conseguimos mas vou te ajudar novamente, a morte me guiou a uma montanha que terminava em um precipício que dava no mar, não via nada em volta, somente a espuma das ondas no mar se chocando na montanha, sabia que ali era fundo o suficiente para remover aqueles lindos olhos castanhos da minha lembrança. A morte me disse: - Coragem meu amigo agora é com você. Respirei profundamente, olhei para baixo e vi um ponto de luz flutuando sobre as águas, admirei a escuridão, fechei os olhos e em minha mente veio novamente aqueles olhos castanhos lindos, lentamente sentindo o vento gelado tomar conta de meu corpo soltei meu peso ao destino, ao precipício, que sensação maravilhosa o vento batia em meu rosto, a escuridão transpassava minh’alma e eu aceitei a morte. Em segundos sentia água do mar em meu corpo, abandonado pelo abraço caloroso da morte eu senti o gelo da água do mar, a sentia entrando por minha garganta enquanto eu buscava o ar e de repente nada... Não sentia mais frio, não sentia mais nada, inconsciente parecia flutuar então esta era a sensação de morrer, era deliciosa, era suave, sentia apenas mãos macias em meu peito, mas de repente senti um baque forte, meu corpo batera em alguma coisa, mas se estou morto com sentia meu corpo, comecei a sentir frio, a sentir o cheiro da areia, com muito esforço, lentamente comecei a abrir os olhos, ao longe vi aquela luz branca se afastando de mim e deixei meu corpo repousar ali largado, novamente não havia conseguido deixar a morte me levar, ela me largou no caminho, me abandonou.
                Quando recuperei as forças, fui até meu carro e retornei a cidade, hoje estou aqui dolorido, abandonado pela morte, solvo por um anjo que não me deixou morrer e não me tirou nem a dor da lembrança dos olhos castanhos mais lindos que já vi, ou me trouxe ela para perto. Hoje tenho um corpo vivo, sem um coração e com uma alma destruída.

A musica que ainda ecoa em meus ouvidos:

Quando eu fui ferido vi tudo mudar
Das verdades que eu sabia


Só sobraram restos e eu não esqueci

Toda aquela paz que eu tinha



Eu que tinha tudo hoje estou mudo, estou mudado

À meia-noite, à meia luz, pensando
Daria tudo por um modo de esquecer



Eu queria tanto estar no escuro do meu quarto

À meia-noite, à meia luz, sonhando
Daria tudo por meu mundo e nada mais



Não estou bem certo se ainda vou sorrir

Sem um travo de amargura



Como ser mais livre, como ser capaz

De enxergar um novo dia.

Criado por Dymattos
Tema escolhido por Dany

Um comentário:

nn disse...

Oii.. seu blog é ótimo, estou começando um blog de estórias também, se puder dar uma lida e seguir, ficaria muito feliz fictionletterss.blogspot.com.br
obrigadaa